Sem nós, sem laços, somente eu!


Adivinha? Descobri que posso ser muito melhor sozinha.
Acredita que existe vida aqui fora? Fora desse relacionamento abusivo, que me tirava forças, e me envolvia em uma bola de neve cada vez maior.
Mas quer saber? Hoje percebo que menor era minha visão, eu fazia tudo ser sofrimento por que no fundo tinha esperanças que minha dor pudessem mudar você.
Mas hoje, eu sei o que é ser feliz.

Felicidade é poder sorrir sem motivo, é não ter que depositar nas mãos de alguém a razão para este sorriso. Ser feliz é aproveitar o agora, curtir a companhia das pessoas que me amam, e rir, até a barriga doer.

Hoje não sei ficar parada no mesmo lugar, e não sei depositar expectativas demais no que acabou de chegar. Aprendi a ser leve e se preocupar com o agora, esquecer o passado e deixar que o futuro chegue devagar.

Hoje já não importa quando você liga, eu já não estremeço aqui dentro. Por que o ouvir da sua voz me faz ter certeza que eu sou cada vez mais minha.

Já não espero, portanto não me decepciono. Quero o agora, e o amanhã a Deus pertence porque ele sabe que eu não quero complicar, só relaxar.

Estou pronta para o que vier. Mas não me perturbe, eu marco falta. Não ocupe meu espaço, eu não deixo. E se quiser mudar o placar, eu embargo. Agora sou assim, fica quem eu quero, quem estiver disposto a correr comigo. Se não consegue, eu dispenso. Pois não quero nós, sem laços, prefiro ser eu e quem quiser transbordar que jogue.

Marcelle Beathriz

Nenhum comentário:

Postar um comentário