Talvez não seja nessa vida ainda!





De onde vem o belo?
Dos teus olhos, da tua pele ou da tua inconstância? 
De onde vem essa vontade e esses pensamentos que insistem em me levar a ti? 

Seria eu uma menina sonhadora, onde os sonhos padecem na ilusão?
Ou seria eu alguém que ama e é correspondida por uma misteriosa e encoberta paixão? 

São tantas as perguntas que me faço todos os dias, são tantos os meus crimes ao lembrar de ti.

E o que sobra é o medo, o medo do incerto, o medo do errado, o medo do arrepender.

E a esperança, que um acaso do destino ou obra do divino, venha presentear-me com mais tempo.
Tempo e oportunidade para estar ao teu lado, mais algumas horas pra que dessa vez eu possa olhar-te com expectativa de respostas que me calem, perguntar e sentir infinitos.

De onde vem tudo o que me arrebata, que me leva pra ti?
De onde?

Compartilhe:

Postar Comentário

0 comentários:

Postar um comentário