É preciso amar as pessoas como se não houvesse amanhã.


Hoje somos todos #Chape, somos todos #solidariedade
Somos a dor de 71 famílias, o choro incontido que rola por corações, estes que muitos de nós nem conhecemos. Somos os braços de Deus que consola. Somos o estádio em silêncio. O apito que não anunciou. A partida que nem começou.

Porém que não sejamos apenas a comoção que marca a tragédia chapecoense, mas que ela lance em nossa alma o quanto nossa vida passa em um segundo, e o quanto precisamos cuidar do hoje, das pessoas que amamos. 

Pois nem o auge da melhor carreira, a maior das quantias, a casa mais bonita, e o carro mais veloz, impedem que você possa dizer adeus sem nunca se despedir. 

Os sonhos são para serem seguidos, mas que eles não nos levem para longe do cheiro, do barulho do sorriso, da mão amiga que nos detém, dos olhos que nos cuidam. 

Que a vida não nos paralise com a correria, e que o tempo não nos cegue com essa falsa liberdade.

Que por condolências aos familiares do vôo CP-2933, possamos ser o abraço demorado, que eles não poderão dar, aqueles que amamos.

O apito anunciou que amanhã pode ser tarde demais, a bola foi lançada e você precisa abrir o placar.

Autor Marcelle Beathriz


Imagem: G1

Compartilhe:

Postar Comentário

0 comentários:

Postar um comentário