É para os seus braços, que eu quero sempre voltar!



O amor é um paradoxo inconsciente em meu coração.
Tenho a constante sensação de liberdade.
Respirar é sentir o quanto sou livre.

Sigo adiante e me exalto por estar sozinha.
Grito aos quatro ventos o quanto é bom não dar satisfação.

Mas no calar da noite,
No silêncio do meu pensamento.
Eu te encontro, tão forte em mim.

E percebo que te amo muito,
Apesar de nossos erros.
E viver longe do calor de tuas mãos,
É afogar meus sentimentos.

Foi por esse forte desejo,
E o aperto angustiante em meu peito.
Que novamente com um sutil pedido, te procurei.

Você poderia me tratar gentilmente,
como se o passado já não importasse.
Mas para minha alegria,
Você me correspondeu.

Hoje estou feliz, pois voltartes aos meus braços.
E o amanhã, incerto e traiçoeiro, prefiro não pensar!
 

Compartilhe:

Postar Comentário

0 comentários:

Postar um comentário